segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Sapera


Nome comum: Sapera
Nome científico: Thamnodynastes paraguanae.
Localidade: Indis
Distribuição geográfica: Colômbia, Venezuela, Guiana, Suriname, Guiana Francesa, Brasil, Peru e Bolívia.
Distribuição conhecida na Venezuela: Estado do Amazonas.

Descrição: pouco visível Rostral de cima; presente floco loreal, um pré e dois postocular; fórmula temporal, 2 + 2 ou 2 + 3. Há oito (4.5) supralabials e 9 (4), ou 10 (5) infralabials; dois pares de geneiales. As saliências estão dispostas em fileiras 17-17-13. Ventrais 149-163 nos machos e nas fêmeas 136-149; subcaudals 85-100 nos machos e nas fêmeas 78-97 cloaca divididas.


A cor é cinza claro com tons sephia com pontos pretos e tons de marrons longitudinais manchas brancas na cabeça tem algumas listras marrons, ventre claro com listras pretas.

Ele mede cerca de 60 centímetros e é noturno, alimenta-se de lagartos e sapos. Isso é perigoso, pois colubrid sido relatada em vários casos que têm sido muito graves condições médicas, porque tem um veneno que contém neurotoxinas proteliticos e hemorrágicas. Joseph R. Bailey, Robert A. Thomas e Nelson Jorge da Silva Jr. (2005) corrigiu o epíteto de subespecífico strigilis para pallidus.

Cobra venenosa.